segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Um livro...Uma Poesia..


"Se morro de amor, todos o ignoram
e negam. O próprio amor se desconhece e maltrata.
O próprio amor se esconde, aos jeitos dos bichos caçados;
não esta certo de ser amor, há tanto lavou a memória.."

Procurava uma inspiração para escrever nesta segunda.. Gosto de falar de coisas inspiradoras num dia que naturalmente já é dificil e desestimulante.
Então fui falar com um amigo, que por um acaso é o que escreve comigo no blog que leva seu nome.
E estranhamente, ele me lembrou de poesia. Me lembrou de um livro que há tempos não pegava e não relia..
O nome é: "Claro Enigma".

O tírulo já é algo que, na minha opnião, chama a atenção. E ainda conta ser escrito por um dos gênios da literatura, Carlos Drummondd de Andrade.
São suas poesias.. De amor.De ironia. De seu "eu".

Não são todos que gostam deste tipo de leitura. Ha vários preconceitos e ultimamente vejo vários autores maravilhosos escrevendo poesias em prosas, mas não mais poesias em versos.

Porem este livro é algo que se vale a pena ler.
Originalmente ele é datado de 1951, mas voltou numa produção independente em 1998. Aborda vários temas e várias poesias que fazem pensar e entrar no universo fantástico deste poeta...

"O filho que não fiz
Faz-se por si mesmo.."


Então aqui vai mais um pedacinho, para estimular a procurarem algo lindo que este poeta criou. Boa Segunda-Feira!

"E pergunto ao poeta, pergunto-lhe
(numa esperança que não digo)
para onde vai - a que angra serena,
a que Pasárgada, a que abrigo?

A Palavra oscila no espaço
um momento. Eis que, sibilino,
entre as aparências sem rumo,
responde o poeta: Ao meu destino."


.

Um comentário:

  1. foi indicado a um selo http://ironiasaparte.blogspot.com/2011/01/4-selo-recebido.html

    ResponderExcluir