terça-feira, 28 de junho de 2011

Draw With Me?

Imagine-se andando numa imensidão. Você olha para o lado e percebe que há mais para ser visto, porém algo impede sua passagem. Uma grande parede feita de... Vidro.
Você pode ver tudo do outro lado, mais nunca poderá tocar. Pode ver as paisagens lá na frente, mais nunca vai poder chegar até lá.

E ai você vê alguém... Você tenta falar, mais ele não te ouve. Ele somente te vê. Vocês fazem alguns gestos para tentar se entender, mas não é lá estas coisas.. Então você tem a idéia brilhante! E se vocês escrevessem no vidro?
A idéia dá certo e então você faz um singelo convite: Quer desenhar comigo?
E através de desenhos, você vai conhecendo quem está do outro lado. Um dia você olha bem pro vidro e vê o rosto do seu companheiro. Algo em você muda. De repente o que não importava muito torna-se uma necessidade.
Atravessar o vidro e realmente estar com aquela pessoa. Tocá-la.
Numa luta desesperada você tenta quebrar o vidro, e o que consegue somente é machucar sua mão.Agora você, além de não estar do outro lado do vidro, também já não pode desenhar.

Já não se tem mais nada. Seu companheiro, do outro lado, pode simplesmente ir embora, andar rente ao vidro e procurar outra pessoa para desenhar com ele... e você ficaria sozinho ali. Mais um verdadeiro companheiro não faria isso.


video


Vi este vídeo a primeira vez já fazem quase dois anos acho, mas toda vez que termino de vê-lo, fico num misto de chocada, surpresa e espantada.
É algo radical, mais acho que a finalidade foi realmente tocar as pessoas, as fazerem pensar.

Num mundo onde nossas diferenças se transformam em muros de vidro nos impedindo de realmente estar com o outro, onde atos nobres já não são mais reconhecidos e onde o amor se torna superficial, só algo chocante para nos fazer acordar.

Não é para ser extremista. Mas seja realmente companheiro. Enfim, dizem que uma imagem fala mais que mil palavras e eu concordo.

E eu realmente espero que este vídeo mexa com vocês, leitores do BDC. Boa terça-feira!

Nenhum comentário:

Postar um comentário